A Academia – Parte V

Em 2000, criei e implementei a PRORED – Rede Provedora de Docentes e Conteúdos Programáticos para Programas de Educação Continuada Presencial e à Distância, dirigida às novas fronteiras do conhecimento, instituição que congrega docentes de destacada especialização científica das três Universidades Públicas do Estado de São Paulo; USP, UNESP e UNICAMP, e inspirada nos princípios da multi, inter e transdisciplinariedade.
Com a Profª Drª Mirian Rejowski, desenvolvemos projetos que resultaram nos projetos pedagógicos e conteúdos programáticos dos programas de Pós-Graduação Stricto Sensu das Universidades de Caxias do Sul – UCS, Universidade Anhembi Morumbi – UAM, Centro Universitário UNA e Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo – ECA/USP.

A partir dos fundamentos da PRORED, em 2001 criei e implantei o CIEV – Centro Integrado de educação Virtual, que atendia prioritariamente necessidades de treinamento e educação à distância.

Tendo em vista as facilidades e tecnologias existentes atualmente, meu livro Análise Estrutural do Turismo, que encontra-se em sucessivas edições desenvolvendo, pelas limitações de espaço, não pôde conter toda a dinâmica das mudanças e inovações.

A dimensão acadêmica de minha vida hoje prevaleceram sobre as atividades públicas que prosseguiram até 1995, e foram interrompidas quando estava na vice-presidência do BANESPA/SA. O que permanece, resoluta e firme, é a militância político-partidária.

E, neste sentido, reacendendo-se vivamente, nos tempos conturbados em que vivemos, sempre de transição e nunca de posições estruturais assumidas, está o desejo, a vontade, o objetivo, o sonho talvez, de poder ocupar uma função, um cargo, uma posição política de amplos horizontes, mediante sufrágio universal, para que eu possa, na tribuna do Congresso Nacional, por exemplo, defender as ideias pesquisadas e trabalhadas na academia, que vão do respeito à cidadania até a garantia dos direitos plenos de uma democracia consolidada.

Quero expressar meus reconhecimentos finais a meus alunos. Sem sua receptividade e dinâmica de reação e participação ao ensinado, não haveria motivação para prosseguir, nem oportunidade de aferir resultados e elaborar projetos.

E também a todos os colegas docentes que me têm acompanhado no plano das ideias e na troca de experiências; não imaginam eles que, dessa fraternidade intelectual jorra a fonte da inspiração e contribuição conjunta à evolução de cada ciência a que cada um deles tem devotada à existência, assentando o caminho seguro por onde hão de percorrer as novas gerações em busca do saber acumulado, da ciência renovada, da profissão revelada, da técnica em avanço e da pesquisa em tempo real dos acontecimentos e fatos determinados pela contínua mudança nos padrões e valores do universo do conhecimento.